As Luzes e Sombras de Van Gogh

por Dilvo Rodrigues

Uma vez, Vincent Van Gogh apontou uma navalha para Paul Gauguin. Eles se admiravam, mas a relação se deteriorava com o tempo. Vincent ficou desolado com sua atitude para com o companheiro, resolvendo cortar uma parte da própria orelha, que foi entregue como presente a uma amiga prostituta, conhecida como Rachel. Logo depois, ele volta para casa, como se nada tivesse acontecido. A polícia então, quando alertada, segue para a residência de Van Gogh e o encontra todo ensanguentado, deitado em sua cama. Após quatorze dias de internação, ele resolve pintar o auto-retrato com a orelha cortada.

Em uma noite qualquer, ele decide passear na beira da praia. Fazia uma escuridão danada. A praia estava deserta. Dali a nove meses, ele seria internado em uma clínica e tratado como doente mental. Havia se mudado para o sul da França, em busca de luz e cores. Independente da distância, escrevia constantemente para seu irmão e melhor amigo, Theo. Em uma das cartas, as palavras estavam assim colocadas: “Uma vez fui dar um passeio pela praia deserta, à noite. Não foi alegre, nem triste – foi belo.”. O resultado desse mergulho na escuridão se chama “Noite Estrelada Sobre o Ródano”.

Os especialistas médicos da época diziam que Van Gogh tinha uma doença que fazia com que tudo o que ele enxergasse se apresentasse na tonalidade amarela. Assim muitos justificavam o exagero ou o uso frequente de amarelo em suas telas. Os especialistas da arte poderiam encaixar aqui a pintura de “Doze Girassóis em uma Jarra”, considerada por muitos uma das obras-primas do pintor holandês. Há relatos apontando que Van Gogh teria fracassado em todos os aspectos considerados importantes para um homem de sua época. Ele não teve filhos, não conseguiu se sustentar financeiramente e era um desastre em seus relacionamentos interpessoais. Em vida, conseguiu vender apenas uma tela. Viveu na miséria. Um século depois, uma de suas obras mais conhecidas,“O Retrato de Dr. Gachet”, foi comercializada por uma fortuna. Dr. Gauchet era um médico acostumado a lidar com artistas, porém não obteve sucesso no caso de Van Gogh.

Vincent já chegou a estudar teologia, acreditava que seu destino era ser evangelizador. Porém, ao se descobrir como pintor, repartiu todos seus bens entre os pobres e encerrou os estudos. Morreu nos braços do irmão, dois dias depois após disparar uma arma contra o próprio peito. Como se seus problemas estivessem todos lá. O caixão de Vincent Willem Van Gogh foi coberto com girassóis amarelos, flor que ele amava.

Um comentário sobre “As Luzes e Sombras de Van Gogh

  1. História de vida muito triste, trágica, mas interessante Dilvo. Na minha opinião faltou o essencial na vida dele para q não terminasse assim: DEUS. Só Ele preenche o vazio do nosso coração e dá sentido à nossa vida. Vou procurar ver os quadros q vc citou do Van Gogh. Muito bom seu texto !!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s